Arquivo da categoria: California

Los Angeles_restôs

Continuo com a saga LA e em depressão por não estar mais lá…

Fiz uma seleção do que vale a pena, seja pela comida/decoraçao/frequentadores…

Snack phyno

The Blvd at Beverly Wilshire Hotel

Ir à Rodeo Drive é obrigatório. Não dá pra cogitar ir a Beverly Hills e não dar um giro pela sua rua mais badalada. Imortalizada por Julia Roberts em Uma Linda Mulher, é a rua das grifes. Odeio quem fala grife. Coisa mais baiana. Enfim, a aula de etiqueta fica pra próxima. Félha,  assim: ali, tem que ter BALA merrxxmo. Não vai achando que vai comprar uma Prada de naylon e arrasar na pixtinha. Vc não vai!  Lanvin, Bottega, Chanel, Missoni, Hermès… todas @ 90210. A arquitetura é um capítulo a parte. Parece serem todas flagships, cada uma com seu conceito e uma mais phyna que a outra. Falei tudo isso pra contar do The Blvd, restaurante do Beverly Wilshire Hotel – a Four Seasons Hotel. O lobby é um atentado. Quase morri com o lustre e os arranjos de flores impecáveis. No bar, snacks phynos. Meu burguer de Kobe beef com queijo brie tava uma coisaaaaaaaaaaa aracy! Grandes chances de encontrar Leo Di Caprio. O moço mora por ali e até onde sei, não sai do hotel. Dei azar, não topei Jack Dawson…

 Olha esse lustre…..pqp!!

 

 Almoço de sábado

The Ivy

Quem é legal em LA, almoça no The Ivy! Hahaha olha eu. Até parece que é assim. Ok, é quase assim. Celebs, high society, turistas antenados (Oi???) dão pinta no restô – principalmente aos sábados. A porta fica lotada de paparazzis, que se misturam aos que esperam mesa. Não adianta reservar, é fila anyway. Dica? Rola colocar o nome e dar uma voltinha na Robertson Blvd. As ludjénhas vizinhas? Kitson, Seven e uma Intermix bem na frente.  É pra ir com as amigas, demorar, fazer carão wearing Missoni… ô laiá. O que pedir? De entrada, alcachofra (artichoke). Drinks? O Vodca gimlet deles é uma lenda e TODO mundo pede. Sou meio against drinks during the day então adivinhem? Ginger Ale!!! Já contei que sou fanática? Conto outro dia.  Vamo pro prato principal?  O linguine com lagosta do Maine é de comer ajoelhado. Lagosta gigante (são assim as do Maine) e excelente tempero. Leve but hugeeeee! Dá uma olhada nas fótenhas abaixo!

ps: cardápio de sobremesas deixa a desejar …. louvado seja Deus (2 kilos depois)!

 

 

 Pós balada

Pink´s  da Melrose Ave

Sensacional é ir ao Pink’s pós balada (ou pós Oscar, se quem estiver lendo for o Rodrigo Santoro ou o Paulo Coelho).  O lugar é meio lixento, o que cá entre nós faz eu gostar ainda mais. Não tenho mto meio termo não. Ou é top ou é zuado. Se o zuado for frequentado por gente bacana, to topando. Influenciável né? Pela Julia Roberts, yes I am (hoje é dia dela hein vixe).  Mil fotos de celebridades autografadas nas paredes, filas na madruga  e um hot dog bem do diferente (tem Chilli – aquele molho de carne que a gente tá careca de ver na cozinha mexicana). Cabe em qualquer bolso e vale contar que foi!

 

Jantar

The Bazaar by José Andrés

Nem pense em ir com fome. Não tem comida suficiente! hahahaha. Vou explicar. O badaladérrimo restô do SLS Hotel é pra anoréxicas. No menu, só tapas. Sabe o que são? Vou ser bem da sintética: aperitivos/tipo entradas da cozinha espanhola. Alguns levam carne, outros pã0 e presunto cru. Tem de todo tipo. Ali no The Bazaar, os menores. O lugar é incrível, by Philippe Starck. São alguns  ambientes, um mais legal que o outro. A patisserie, girlie. Toda em rosa e branco, com mesinhas altas. Dá pra ver na foto?

Monterey e Carmel

Seguindo nos posts da viagem….

Monterey é uma gracinha. Não tão charmosa quanto Carmel, mas ainda assim fofa. A distância que separa as duas cidades litorâneas de SFO é de mais ou menos 200 km. Se tiver tempo, vale a pena. A principal atração? O aquário.  Não tenho muita paciência com bicho e detesto zoológico. A vida marinha sempre me atraiu e como a cidade abriga o maior aquário (em diversidade) da Califórnia, pus na minha cabeça que eu tinha de ir. Num é que adorei? A coisa toda tem efeito calmante…. água, peixe. Tem criança pequena em casa? Nem pense 2 vezes. Vi tantas lá – essa parte acabou com a calma de até então!

Os detalhes. O espaço todo é composto por 4 zonas. Dois dos tanques são bem grandes e tem contato direto com o Pacífico. Tubarões, arraias, cardume de sardinhas, polvo gigante, corais, enguias e berçário. Mini lontrinhas nadando & getting tanned hahaha. Gastamos umas 2 horas,  sendo quase 30 minutos nas águas-vivas. As jellies são o máximo! Tem as gigantes, as mini, as micro, as mais venenosas, as menos. Um espetáculo!  Não dá pra não contar dos cavalos marinhos. (to tentando resumir mas tá foda). Delicados, pequeninos! São várias espécies deles. Os do Atlântico, os do Pacífico, o dragon seahorse… parecem de mentira sabe?

Não tirei muitas fotos no aquário, esqueci minha máquina no carro – parado ilegalmente num supermercado. Mais uma dica! hahahaha. Se for cega e não achar um barracão gigante com letreiro PARKING no topo, dá um gato e estaciona no supermercado. O estacionamento é grande demais pra  população da cidade. Dá nada não.

As mãozinhas direto pro face da Fê: Bella, eu e a dona do face

 

Carmel é mini, charmosa e super romântica. Pensa num Campos de Jordão zero coxinha e com praia. Pensou? There you go. A avenidinha principal (Dolores Ave) é cheia de lojas de roupas e decoração. Tudo de pedra, madeira.  Até os postos de gasolina tem fachada caprichada. Curiosidade ótema? Clint Eastwood figura no hall de ex prefeitos da cidade. Cool né? Olha o Gran Torino aí gente.

Passamos um fim de tarde, noite e manhã. Sugiro que escolham o hotel ao chegar. Um giro e o famoso ” fui com a cara” são suficientes para garantir boa acomodação a preços razoáveis (vale dar uma olhada se não é época dos torneios de golf da vizinha Peeble Beach. Se for, tudo lota).  Batemos em 2. Ficamos com o segundo, mas jantamos no primeiro. Respectivamente:  Lobo Lodge e L´Auberge. O L´Auberge é chiqueria, com restaurante estrelado e menu degustação. Relais Chateaux, bien sur. O Lobo Lodge é bem localizado, tem quartos grandes (éramos 3 genty) e boas tarifas. 

Foi chegar, acomodar as malas, banhar e zarpar. Nosso jantar tinha hora marcada, era menu degustação. Ui ui ui. Meu coração fazia ticaticabum. Amo mto tudo isso. Frescura é aqui mesmo. Pode apply! Haha. O L ´Aubergine é  incrível e valeu cada centavos dos USD 170 dólares gastos. Bom vinho, atendimento impecável e lugar pequeno e aconchegante. Tirei foto da sobremesa!

Sobremesa do menu degustação de 4 pratos @ L´Aubergine

Acordamos, demos uma olhada na praia e um giro na Dolores. Próxima parada, Santa Barbara! 

 

San Francisco

 

Depois de quase 16 horas, finalmente SFO. Fiz escala em Atlanta, onde é o HUB da Delta. Explicando lá lá lá. Hub é centro de operações. As cias aéreas tem algumas cidades onde suas plataformas são maiores. American tem Hub em Dallas, por exemplo. Tendeu? É isso ou quase isso.  O fato é que cheguei destroçada. Em avião ou durmo ou leio a Barsa. Cadê o meio termo? Esqueci em casa. Troca de terminal, encontra as “culega” e vai buscar o carro. Tínhamos 4 dias na cidade e depois, all the way down (!?!) to San Diego. 

Me hospedei no Hyatt em Fisherman´s Wharf. A área é bem turística, já que o antigo porto hoje abriga restaurantes, lojas de aluguel de bike e docerias/padarias. Quarto bom, breakfast idem. Concierge: das trevas. O russo/albanês/sei lá de onde aquilo veio falava um inglês cavernoso e era bemmmm do lazy. Já tinha lido bastante sobre a cidade no NY Times então não tive problemas. Já consultou a sessão travel deles? Mega indico. Sempre que vou aos US, paradinha obrigatória. Foi lá que vi um dos passeios mais legais  que fiz na viagem. Vou por tópicos ok?

  • Restôs

Cafe de la Presse – Na frente da embaixada francesa, fica pertinho da Union Square.  Grant St and Bush St, se não me engano. Na frente, o portão Sul de Chinatown. Ambiente charmoso e bem frequentado, tem opções bem menos GORDAS pra café da manhã e almoço. A tábua de queijos é MARA.  Dos 5, quatro franceses.

Crab House at Pier 39 – Não dá pra ir a SFO e não comer um king crab. Dá um trabalho do inferno, mas é o máximo. Babador, martelinho e mãos à obra!

Horizon´s em Sausalito –  A vista é um charme e se sentar na varanda pode presenciar gaivotas ladras de pães. Meu linguine com camarão e alho era dos deuses. 

  • Vistas e passeios

Pedalar de Fisherman´s Wharf to Tiburon –  Cruzar a Golden Gate Bridge pedalando é sensacional. Se der muita sorte, pega um dia como o que pegamos. Todos, sem exceção, comentavam como era difícil ver a ponte toda e não congelar durante o passeio. São 18 miles, o que equivale a uns 28 km. A bike dá pra alugar na Powell St ou no  próprio Fisherman´s Wharf.  São 35 dólares a diária. Água, casaco pra vento e sunblock são indispensáveis. Pra fotos, vista point logo que cruzar a ponte. O percurso termina em Tiburon, cidadezinha linda e de onde saí o ferry. Calma, vc não precisa pedalar de volta. Dá pra por a bike no ferry. O sol se põe as 19h, 19h20. Vê-lo de despedir do ferry é uma atração a mais. Leva um dia completo ok?

  • Compras

Neiman Marcus, Chanel, Bottega, Abercrombie e etc estão todas na Union Square. Uma vez lá, um pulinho no Westin St Francis Hotel é OBRIGATÓRIO. Atenção especial ao mármore que reveste o lobby e aos chandeliers (tenho fixação por chandeliers).

  • Fervo

Barzinhos mil na Fillmore St. O CIRCA, um bar de esquina, abriga as vezes as noites da French Tuesday. Pra entrar, nome na lista. Fui convidada por um amigo de lá, mas acho que dá pra se registrar no site.  O Matrix é outro, na mesma rua. Tem lareira, decoração modernete e fica cheio aos domingos.

A noite posto o vídeo que fiz em frente a GG Bridge!!!!  Mico do séculoooooo, com capacete e tudo, direto pro blog. Definitivamente dando a cara a tapa!  NÃO CONSIGO POSTAR O VÍDEO.  O FORMATO NÃO ENTRA!!! VOU CONTINUAR TENTANDO

Beijocaaaa

California_voltei!

Leitoras fervidinhas, voltei!

Avisei que não ia postar nas férias e não postei. Óbveooo que tive de me segurar. Tanta coisa acontecendo e eu doida pra escrever aqui contando os detalhes.  Não levei meu note, o que cá entre nós facilita e muito a operação “desligada do universo”.  Posso começar? Ô DO LA SI JÁ (bella, te dedico)

A viagem foi sensacional. Ameiiiiiiiiiiii a California (assim, com esse monte de I mesmo). O tempo tava incrível, o roteiro minuciosamente estudado – tchela nerd-  e o time, alinhado no mood. Minhas companheiras? Bella Said e seu humor contagiante e Fêzinha mega dengo, fazendo o impossível pra pra agradar. Teve GPS com pau, amigos brazucas por lá, restaurantes incríveis, comprinhas mil (beauté principalmente), lugares, pessoas e vistas alucinantes.

O rolo começou em  San Francisco e tinha como destino final San Diego. Descemos pela US1, rodovia estadual que tem boa parte de sua extensão com vista pro Pacífico – classificada com uma das mais lindas do mundo. No meio do caminho, paradas estratégicas. Além dos mil 7 eleven pra comprar Doritos, cidades como Monterey e Carmel. Pós Carmel, Sta Barbara e finalmente LA. (PS>  Los Angeles é AMAZING!  Se acha que Vegas é sin city, you better wait until you reach LA. Baladas ótimas,  restôs idem, praias com clima de seriado – Barrados no Baile- e povo animado e friendly). O mood californiano é contagiante. Summer, drinks, “partying’  all the time. Vou dar dicas do que fazer em cada um dos locais onde passei tá?

Pra fechar com chave de ouro? NYC. Concrete jungle where dreams are made of. Park Ave, café no Sarabeth´s de frente pro parque, as vitrines da Barneys, os rooftop bar….Meu coração faz ticaticabum quando pouso em JFK.

Contei que gravei videozinho pro blog? Hahahaha. Pedalamos 18 miles bike em  SFO. From Fisherman´s Wharf to Tiburon, uma cidadezinha pouco depois de Sausalito. Capacete,  mizunão (não tenho sapatilha de ciclista) e sol na oreia. Não tem jeito melhor de conhecer a cidade do que de pedalando. Li no NYTimes, fiz e indico.

Olha eu falando sem parar! Vou organizar os posts e posto aqui. Beijo tchau.